Curiosidades do Horror e FC: Entrevista com o escritor R. F. Lucchetti, na revista “Horrorshow” número 4


A revista “Horrorshow”, publicada entre 1996 e 1997,  abordava todas as mídias do Horror e FC. A edição número 4 (1997) trouxe uma entrevista com o escritor Rubens Francisco Lucchetti. O texto é uma compilação de entrevistas cedidas a Gonçalo Silva Junior e Ivan Cardoso, num arranjo final organizado por Edgard Guimarães, editor do lendário e ainda na ativa fanzine “Quadrinhos Independentes”.
Lucchetti revela várias informações e curiosidades interessantes sobre sua carreira e suas parcerias com o cineasta José Mojica Marins (o lendário “Zé do Caixão”) e o ilustrador de quadrinhos Nico Rosso, entre outras.
A última pergunta encerra a entrevista com chave de ouro, com uma resposta de mestre. Abaixo segue a reprodução na íntegra.

“Você se preocupa em transmitir alguma mensagem nos seus roteiros?”

“Abomino esse tipo de cinema que quer mostrar o retrato psicológico da sociedade: o relatório sobre a vida. Isso para mim é documentário da realidade e, como tal, muito maçante. Recordo-me sempre do conselho que o Samuel Goldwin deu a um jovem aspirante a roteirista: ‘ Filho, se tiver que dar alguma mensagem, utilize o telefone’. Para mim, cinema é diversão, uma máquina de sonho.” 


Curiosidades do Horror e FC: Notícia sobre “Tropas Estelares” (1997), na revista “Horrorshow” número 4


A revista “Horrorshow” tinha uma seção de notícias chamada  “Pesadelos à Vista...”. A edição número 4 (1997) informava sobre o projeto do diretor Paul Verhoeven para “Tropas Estelares” (Starship Troopers), inspirado no livro de Robert Heinlein.
Abaixo segue a reprodução na íntegra dessa notícia.
Interessante registrar que, numa comparação inicial entre filme e livro, e ao contrário do receio que o filme fosse decepcionante,  trata-se na verdade de um ótimo entretenimento.  

O sucesso de “Tropas Estelares” acabou impulsionando uma franquia com várias produções. Tivemos uma série de animação produzida para a televisão em 1999 (“Roughnecks: The Starship Troopers Chronicles”) e o filme de animação “Tropas Estelares: Invasão” (2012). Além também do lançamento de duas continuações: “Tropas Estelares 2” (Starship Troopers 2: Hero of the Federation, 2004) e “Tropas Estelares 3” (Starship Troopers 3: Marauder, 2008).

“Todo Mundo fala nele, a expectativa é grande, mas por esta primeira imagem (logo abaixo) dá para perceber que Starship Troopers vai ser uma decepção. O novo filme do mestre da estética da violência Paul Verhoeven, com baixo orçamento, abriu mão daquilo que era a alma visual do romance de Robert Heinlein: o traje autopropulsado, uma espécie de robô blindado super armado, equipamento básico da Infantaria Móvel (IM) para combater os alienígenas aracnídeos conhecidos como Pulgões. Daí ficou esse visual mixuruca, que perde até para o televiso Space, Above and Beyond, execrado pela maioria dos fãs. Outro furo: na IM não havia mulheres, só homens. Todas as mulheres militares eram pilotos de espaçonaves e caças. Com esse começo só nos resta confiar no talento do diretor de Conquista Sangrenta, Robocop e Instinto Selvagem.”

Está disponível a edição virtual e gratuita do fanzine “Juvenatrix” número 183


Para solicitar sua cópia em formato PDF, envie um e-mail para: renatorosatti@yahoo.com.br

Conteúdo:
“Juvenatrix” número 183 (Fevereiro de 2017), 13 páginas.
Capa e contra capa:“Angelo Junior”.
Metal: “Dark Funeral” (Suécia).
Divulgações, Notícias e Curiosidades
Resenhas de cinema:
Bonecas da Morte, As (The Psychopath, Inglaterra, 1966)
Criatura da Mão Azul, A (Creature With the Blue Hand / Die blaue Hand, Alemanha Ocidental, 1967)
Cruz do Diabo, A (La Cruz del Diablo / Cross of the Devil, Espanha, 1975)
Fantasma de Frankenstein, O (The Ghost of Frankenstein, EUA, 1942, PB)
Fantasmas Que Ainda Vagam (Ghosts That Still Walk, EUA, 1977)
Latidos de Pánico (Panic Beats, Espanha, 1983)
Sol (São Paulo, Brasil, 2017, curta-metragem independente 14 min.)
Uivo da Bruxa, O (Cry of the Banshee, Inglaterra, 1970)